Estados Unidos? Não! Visto negado!

Ter o visto negado é a mesma coisa do que levar um tapa ou um soco na cara, só quem já teve seu acesso negado para viajar para os Estados Unidos, sabe o que estou falando. No ano de 2015, resolvi tirar meu visto com a intenção de ir para Houston. Separei toda a documentação necessária, levei até mais coisas do que era necessário, porém caí em contradição com algumas informações que marquei no formulário online e com as que aleguei para o entrevistador. Confesso que estou com trauma até hoje, quase um ano depois, de passar até na porta do Consulado americano, no Rio de Janeiro.  Realmente, cometi algumas gafes na minha entrevista. Depois que saí do consulado, fiz as contas do prejuízo, “perdi” aproximadamente R$800, incluindo o valor do visto e a passagem aérea de Minas Gerais para o Rio de Janeiro. Abaixo, julgo alguns dos motivos por terem negado meu acesso aos Estados Unidos.

  1. Aleguei que passaria férias na Disneylândia, por pensar que seria mais fácil em conseguir o visto dizendo que iria ver o Mickey. O “melhor de tudo” é que disse que iria sozinho. Agora penso… O que um jovem de 18 anos, sem nenhum vínculo com o Brasil vai fazer sozinho na Disneylândia? Posso estar equivocado em pensar assim, mas se talvez tivesse dito que iria de excursão, acho que teria chances da aprovação do visto;
  2. No dia em que preenchi o requerimento do visto online, coloquei as profissões atuais que meus pais desempenham, porém, na minha certidão de nascimento estavam outras profissões, pois mudaram de trabalhos e hobby no decorrer dos anos. Infelizmente, o entrevistador me perguntou a profissão do meu pai e depois da minha mãe, ou seja, caí em contradição do que marquei no formulário e o que disse pessoalmente, uma vez que não tinha passado pela minha cabeça sobre isso;
  3. Quando estava na fila, rezei o tempo todo pra não cair no box de um entrevistador que estava mal humorado. Dito e feito. Fui encaminhado ao box dele;
  4. No dia em que fui tirar meu visto, ocorreu um problema interno nos Estados Unidos, e consequentemente, a maioria dos vistos estavam sendo negados aos brasileiros;
  5. Aparentar estar ansioso e inquieto com toda aquela situação.

Com esses erros, aprendi que devemos falar a verdade em todos os momentos. Se você vai para Houston, diga ao entrevistador do Consulado a verdade.

  • Não delongues as respostas, seja objetivo.
  • Esteja sempre atento ao que marcou no formulário caso seja você que preencheu, e o que responderá na entrevista.
  • Não olhe para os entrevistadores e não tente ver quem está de bem ou mal humor, pois se torcer para não cair em um determinado box, a chance é grande que vai ser nesse a sua entrevista.
  • Tente se manter tranquilo a todo o momento.

Você, que está pensando em viajar para os Estados Unidos, pague um despachante para acompanhar a sua solicitação do visto, pois preencher o formulário sozinho exige muito tempo e atenção. Contratando um profissional da área, o risco de cometer um erro igual cometi na minha entrevista será bem menor.

Ainda estou criando coragem para tentar outra vez!!

 

Começo de conversa

Você já fez ou sonhou em fazer um intercâmbio?

Para entendermos um pouco mais do que vem a ser um intercâmbio, foi preciso consultar alguns sites e o precioso dicionário Aurélio, que nos diz que intercâmbio, significa: “1. Troca, permuta. 2. Relações de comércio, ou culturais, entre nações”.

O Intercâmbio cultural é uma excelente escolha para o viajante que pretende conhecer os costumes, trocar conhecimentos e aprender novos idiomas.  Citar o intercâmbio cultural realizado, no currículo profissional é algo vantajoso frente ao mercado de trabalho, assim como estudar no exterior é um sonho para milhares de brasileiros.

Sabemos que viajar para outro país exige tempo para organizar um fascinante roteiro e dinheiro para pagar todas as despesas, que sabemos que não são poucas.  Economizar em uma viagem internacional não é algo impossível, basta dedicar um tempo para filtrar hotéis com preços baixos. Porém, com uma boa qualidade e uma boa localização, que é algo que facilita e muito uma viagem, às vezes o local onde hospedamos é tão completo, com bares, restaurantes e diversos pontos turísticos, que não é necessário gastar diariamente com taxi ou metrô.

Os  passos para uma viagem satisfatória são:

  • Escolha do local que visitará

Escolha um local que seja a “sua cara”. Pesquise sobre cada local que passar na sua cabeça. Se gosta mais de tecnologia e modernidade vá aos Estados Unidos. Caso goste de arte e história, visite a Europa.

eiffel-tower-1156146_960_720

london-eye-945497_960_720

brandenburger-tor-201939_960_720

vittorio-emanuele-monument-298412_960_720

empire-state-building-828777_960_720

  • Definir a data da viagem

É algo muito importante, pois não são todas as pessoas que conseguem se adaptar ao inverno rigoroso ou ao calor escaldante de um determinado local. É importante fazer constantes pesquisas sobre o local que irá visitar, para ficar por dentro de todas as novidades do local escolhido.

calendar-1231038_960_720

  • Escolha uma agência de turismo confiável

É essencial comprar seu pacote de viagem em uma agência de turismo ou intercâmbio que seja confiável e bem aceita pelos seus usuários. Entre no site Reclame aqui e veja as reclamações das agências.

qialiti

 

  • Documentos necessários

Sempre se atente a todos os documentos necessários para passar na imigração, que é algo sério e se a documentação não estiver correta, o risco de barrarem a sua entrada no país pode ser grande. Prove que está com toda a documentação necessária, prove que possui algum vínculo no território brasileiro. Caso não seja você que pagará sua viagem ao exterior, leve uma carta de custeio, escrita por quem  irá custear sua jornada, lembrando que a carta deverá ser registrada no cartório.

travel-1410824_960_720

  • Imigração

Ao passar pela imigração, é sempre bom  ter em mãos a passagem de ida e volta, confirmação da matrícula da escola que estudará no período do intercâmbio, e onde se hospedará. Se sua intenção é ir para os Estados Unidos, primeiramente, é preciso tirar o visto no Brasil. As pessoas que não moram em cidades que possuam o consulado americano é preciso se dirigir para algumas capitais brasileiras, por exemplo, Rio de Janeiro e Brasília. Dizem por aí que tirar o visto em Brasília é mais fácil do que em outros lugares.

Atentar-se às perguntas feitas pelo entrevistador no consulado  americano é algo muito importante, pois se cair em contradição com o que marcou no formulário online (caso preencha sozinho) e com o que relatou na hora da entrevista, a chance do seu visto ser negado é enorme.  Preencher o próprio visto americano é algo muito burocrático e exige horas frente ao computador. Os intercambistas que seguirão viagem para a Europa, não necessitam do visto, caso fiquem até 90 dias no território europeu.

united-kingdom-653010_960_720

  • Preparar para os novos desafios

Se você viajará sozinho, pense que outras pessoas estão na mesma situação do que você. É claro que viajar sozinho, para um lugar tão distante é algo que não estamos acostumados. Não tenha receio de se hospedar em um Hostel se for preciso, procure fazer amizades,  se liberte e experimente todas as comidas do local escolhido. Viva intensamente cada segundo.

sky-960099_960_720

Fique sempre atento nas promoções das agências de turismo ou dos benefícios do governo federal ( Ciências sem fronteiras).

 

Corra atrás de seus sonhos!

 

Nos próximos post darei dicas de hotéis, passagens aéreas em promoções e os melhores destinos para viajar!

 

Vemos-nos em breve.